Os meus seguidores.

sábado, 10 de agosto de 2013

Estava escrito

Olá!
Passados os primeiros dez dias de férias, quase todos com diretas no corpo, estava a chegar a hora de partir para outro local da nossa costa atlântica.
Neste dia de manhã, após limpar e arrumar todo o material para organizar a partida do dia seguinte, digo para mim mesmo que a última noite era para descansar. Uma noite inteira sem qualquer toque nem captura, o mar um pouco mais levantado e o cansaço acumulado no corpo faziam-me pensar assim. Estava decidido. “Hoje, NÃO HÁ PESCA”.
A meio da tarde toca o meu telemóvel. No outro lado da linha, um amigo. Pescador viciado tanto ou mais do que eu. Talvez mais! Decididamente mais!
Nas suas palavras, “vamos pescar hoje à noite?!”, senti aquela vontade que nos corre nas veias e que nos faz fervilhar o sangue quando estamos com o desejo exacerbado de apanhar um peixe. Evidentemente, não o podia deixar pendurado. Tinha que lhe fazer companhia. “Ok, vamos a eles.”
Sinceramente, a vontade era nenhuma. Desligo o telefone e comento com a família: “só vou à pesca para este desgraçado não ir sozinho. Não me apetece nada…”
Às duas horas da manhã, hora combinada e possível da partida, arrancamos para a praia. Qual praia? Não interessava. Uma qualquer. Nem o local estava decidido.
Face às múltiplas hipóteses que se deparavam, propus um spot onde quatro ou cinco dias antes tinha tirado um robalo com 2 kg. Chegámos, montámos o material e zarpamos pela areia. Meia hora depois o primeiro robalo foi ferrado por mim. Umas boas cabeçadas, o carreto a cantar faziam pressentir um bom exemplar. Pouco depois os 2,800Kg já estavam aos meus pés. Que saudades. Que loucura. E estava para não vir…

A noite animou. Mas animou mesmo. O que se passou a seguir é indescritível. O prazer de sentir que o peixe estava lá e a colaborar fazia-nos esquecer o cansaço e a perder a noção do tempo. A adrenalina era grande como grande foi a pescaria. No final, entre peixe capturado, peixe não ferrado e peixe libertado tínhamos feito onze peixes entre os 1,5kg e os 2,800kg.



Estava escrito que ia ser assim. Só podia estar. Não há outra explicação.
Fiquem bem!

10 comentários:

Manuel Oliveira disse...

Boas Pedro,
Tb já tive essas situações e felizmente correram-me bem...:)
Belas capturas e grande noite que deve ter sido!
Assim vale a pena estar de férias!

Forte Abraço

João Pinto - http://sheospinning.blogspot.com/ disse...

Muito bom, pescas dessas nos dias que correm são raras

Parabéns

Pedro Soeiro disse...

Olá Manuel.
De vez em quando estas coisas acontecem. Felizmente estamos lá.
Abç.

Pedro Soeiro disse...

Olá João Pinto.
Costumo dizer que temos que lá estar para eles nos pescarem. Foi o que aconteceu. Correu bem.
Abç.

Nuno Sousa disse...

Boas Pedro,parabéns
mas olha,ontem quando nos encontramos á noite,se já estivesse visto este post,tinhas que trazer um para jantar eheheh.....até e SAÚDE.

Pedro Soeiro disse...

Eheheheheh...
Felizmente andas ocupado e não tiveste tempo de cá vir dar uma espreitadela. Fica para a próxima ;)
Abç.

rui estrela disse...

uauuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu...parabéns...estava nas escrituras hehehehheh

Pedro Soeiro disse...

Alô Estrela.
Uma pescaria que ficou bastante aquem da tua mas que não deixa de ser boa.
Obrigado.
Um abraço para ti.

. . .Hugo Marques. . . disse...

Parabéns Pedro bela pescaria, noites assim valem a pena.
Curiosamente nesse mesmo dia 10Agosto entre as 6h e as 8h também fiz 3 bailas e 9 robalos não com o calibre das tuas capturas peixe entre as 0,8kg e 1,3kg mas até hoje foi a minha melhor pescaria ao spinning e fugiu-me um ao meus pés que teria bem mais de 4kg, fiquei a ver a vitoria do meu "adversário" a ser saboreada a medida que este se afastava.

Abraço
Hugo Marques

Pedro Soeiro disse...

Olá Hugo.
De facto fizeste uma bela pescaria também.
Por vezes são eles que nos levam a melhor. Vê a coisa pelo lado positivo: "quando o apanhar já está maior" ;)
De certeza que mesmo sem o sacares tiveste um prazer imenso.
Um abraço e continuação de boas capturas.