Os meus seguidores.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Carretos

Carretos, existem muitos. De muitas marcas. De muitos modelos e feitios. Com muita ou pouca tecnologia. São uma peça indispensável para a pesca. Deles depende muitas vezes o sucesso ou o fracasso na captura do peixe. Quem não gosta de os ouvir cantar…zzzzzzzzzzzzzzzz.
Certamente, já todos nós comprámos um. Talvez dois ou três. Talvez mais. Mas quantos de nós já se interrogaram para que servem as inscrições que neles vêm gravadas? O que é o ratio, o TMV, o CRBB, o 3000 ou o 4000…
Vamos tentar clarificar o que são estes parâmetros.


Ratio/recuperação média – o ratio é representado por um número seguido de :1. Significa que esse carreto recupera um determinado número de voltas de fio em redor da bobina a cada volta da manivela. Por exemplo um ratio de 5.3:1 quer dizer que a cada volta da manivela são enroladas 5.3 voltas de fio à bobina.


Tamanho – este parâmetro indica o tamanho do carreto e depende do fabricante. Para o spinning, normalmente utiliza-se um tamanho 3000 se falarmos de um Daiwa ou de um 4000 se falarmos de um Shimano. Outras marcas podem ter outros tamanhos que não andarão longe destes valores.


Capacidade de linha – Normalmente referida nos carretos como line cap. (lbs/yds) ou (m/mm), indica-nos a quantidade de fio que a bobina suporta para uma determinada espessura da linha.


CRBB, HPCR e ARB – Estas nomenclaturas referem-se às características dos rolamentos que o carreto possui.
CRBB (Corrosion Resistant Ball Bearing - Daiwa). Resistência à corrosão dos rolamentos.
HPCR (High Performance Corrosion Resistant – Abu Garcia). Alta performance anticorrosão dos rolamentos.
ARB (Anti Rust Bearing - Shimano). Rolamentos tratados contra a corrosão.

Aero wrap – Esta tecnologia, espeífica da Shimano, enrola a linha uniformemente em pequenas espirais paralelas permitindo que no lançamento a linha saia com o mínimo de fricção.



1 comentário:

algures no atlântico disse...
Este comentário foi removido pelo autor.